Cirurgias eletivas cresceram com mutirões  (Foto: Arquivo/DP)

As intervenções eletivas, por definição, podem ser agendadas pelas equipes médicas por não causarem riscos à vida do paciente

Nos três primeiros meses de 2024, a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE)  registrou a realização de 18 mil cirurgias eletivas. 

Ainda segundo o governo, em 2023, foram feitos no Estado mais de 71 mil procedimentos, apontando um "recorde" em relação a anos anteriores.
 
As intervenções eletivas, por definição, podem ser agendadas pelas equipes médicas por não causarem riscos à vida do paciente. 
 
Esse balanço foi divulgado na segunda (10), no site da SES-PE.
A pasta ressaltou que esses números foram atingidos com a adoção de algumas estratégias.
 
Entre as ações, destacam-se os mutirões promovidos  nos fins de semana.
 
“O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, tem a satisfação de informar que batemos um novo número importante na saúde, com a realização de 71 mil cirurgias eletivas em 2023. Um número que não foi registrado nos últimos anos e que confirma nosso compromisso de ofertar o melhor da saúde aos pernambucanos. Outra felicidade é que mantemos o ritmo em 2024 com a realização de mais de 18 mil cirurgias só de janeiro a março”, afirma secretária de saúde de Pernambuco, Zilda Cavalcanti.
 
Detalhes
Em 2023, algumas cirurgias se destacaram em números.
Esses procedimentos ajudaram a reduzir uma demanda reprimida, principalmente em virtude dos anos de pandemia da Covid-19, com auge entre 2020 e 2021. 
 
Os procedimentos em destaque foram: cirurgias de vesícula (8 mil), correção de hérnia (5 mil), histerectomia (2,7 mil) e vasectomia (1,2 mil), além de laqueaduras (800). 
 
Comparativos
 
O crescimento se deve, principalmente, ao investimento nas seguintes ações: aporte das equipes e estímulo à operacionalização de mutirões de cirurgias por meio do Programa Cuida PE, estratégia para reduzir a espera dos pacientes da rede pública de saúde.
Para chegar ao "recorde", além dos mutirões, as unidades de saúde atuaram com as suas equipes nos chamados “terceiros turnos”, nos quais as atividades puderam ser executadas nas escalas noturnas.  
 
Com relação à série histórica, 2016 foi o menos produtivo, com pouco mais de 29 mil procedimentos realizados (29.156).
 
Em 2019, ano anterior à pandemia provocada pelo novo coronavírus, foram realizadas no Estado 61.701 cirurgias.
Em 2020, já no período da Covid-19, os procedimentos de natureza eletiva foram suspensos em Pernambuco. Só foram retomados em 2021, quando ocorreram 43.820 intervenções. 
Em 2022, o número foi de 61.373.
 
 
leia também em,https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2024/06/estado-registra-18-mil-cirurgias-eletivas-em-tres-meses-de-2024-e-res.html