O novo sistema de alerta de emergências do país deve entrar em operação até dezembro para todos os estados das regiões Sul e Sudeste, quando começa o verão e há maior incidência de chuvas.

Até lá, o sistema deve ser testado pela Defesa Civil em dez municípios brasileiros. São cidades pequenas, que foram escolhidas de acordo com o histórico de desastres e a capacidade das defesas civis.

A informação é do superintendente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Gustavo Borges, em entrevista ao g1 e à TV Globo.

"A expectativa é que a gente consiga expandir até o próximo verão para todos os estados da região Sul e Sudeste. A gente trabalha para que tenha essa expansão até novembro, dezembro, e que já esteja à disposição das defesas civis", declarou o superintendente.

O novo sistema de alertas vai emitir alertas com sons e mensagens em formato pop-up no celular – que se sobrepõem ao conteúdo exibido na telaVeja como vai funcionar:

“O importante é que essa mensagem não requer um cadastro do usuário. Então, se você estiver com um celular compatível, com uma rede 4G e 5G e em cobertura, essa mensagem vai chegar para você”, explicou Borges.

O sistema vai ser operado pela Defesa Civil, que vai delimitar uma área em situação de risco para emitir o sinal. Qualquer celular compatível com cobertura dentro desse perímetro vai receber a notificação.

Segundo Borges, aparelhos de celular comprados a partir de 2020 já são compatíveis com a tecnologia, que vai funcionar em redes 4G e 5G.

SMS vai continuar existindo

Atualmente, os alertas são emitidos pela Defesa Civil por meio de mensagens SMS. Contudo, para receber as mensagens, o usuário precisa fazer um cadastro informando CEPs de interesse.

“Ocorre que, por exemplo, você tem diversas movimentações, sai de municípios, troca de estado, está em outros locais. Essa é uma fragilidade hoje do SMS, enquanto o cell broadcast [novo sistema] vai identificar todas as pessoas que estiverem naquela região de risco mesmo que você não tenha feito um cadastro e vai disparar a mensagem”, afirmou.

No entanto, segundo Borges, o SMS continuará sendo utilizado pela Defesa Civil para emitir alertas. O novo sistema será usado apenas em situações de alto risco.