Durante apuração, foram constatadas construções irregulares e cortes de árvores em área de proteção ambiental

A investigação da Operação Loronha começou este ano após fiscalização da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Durante apuração, foram constatadas construções irregulares e cortes de árvores em área de proteção ambiental nos locais alvos da ação.

Leia também

 

• Começa hoje, no Recife, o maior congresso de cooperativismo de crédito da América Latina

• Aulão gratuito marca o Dia do Estudante no Recife

 
 

Ainda segundo a PF, foram usados artifícios para burlar o sistema de concessão de licenças e autorizações de construções nas áreas investigadas, incluindo a instalação de energia elétrica por meio de extensões clandestinas realizadas por uma pousada em Noronha, que não teve o nome divulgado.

Um inquérito policial segue em andamento. A PF informou que os investigados responderão pela prática de delitos ambientais, entre outros crimes, por causar dano direto ou indireto ao meio ambiente às Unidades de Conservação, com penas variam de um a cinco anos de prisão.

 

LEIA MAIS EM,https://www.folhape.com.br/noticias/policia-federal-faz-operacao-de-combate-a-crimes-ambientais-no-recife/236655/