Nesta quarta-feira (1), o prefeito do Recife, João Campos, anunciou que o Recife ocupa a primeira posição na geração de empregos formais entre as capitais do Nordeste, de acordo com os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério da Economia, referente ao mês de outubro. Segundo os números, a capital pernambucana registrou o maior saldo positivo de postos de trabalho desde o início deste ano, com 4.451 novos vínculos. Outubro também foi o sétimo mês consecutivo de alta e o nono no ano no indicador.

“Saiu o resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de outubro, que é o indicador nacional que mede o emprego e o desemprego. O Recife foi a capital nordestina que mais gerou vagas formais de emprego no mês de outubro. Foram mais de 4.400 vagas. Número que reflete as oportunidades e a chance de uma renda para tantas famílias recifenses, anunciou o prefeito do Recife.

“O nosso esforço tem sido muito, para gente poder garantir o momento de virada econômica. Lançando o pacote de investimentos públicos em uma velocidade importante na aprovação do licenciamento, de empreendimentos privados, que garantem a formalização de empregos na cidade. E com um olhar muito atento para transformar o Recife em uma cidade mais inclusiva, que tenha uma legislação tributária mais favorável para novos investimentos e para atração de grandes negócios. E que a gente se consolide a cada dia como a grande cidade do Nordeste Brasileiro”, acrescentou.

Em outubro, o Recife registrou 16.728 admissões e 12.277 demissões, resultando numa variação positiva de 0,91% em relação ao mês de setembro. Dos 4.451 empregos formais, 2.303 foram voltados para homens e 2.148 para mulheres, com forte tendência no público jovem entre 18 a 24 anos: 2.121 pessoas. 

O setor de Serviços, um dos mais tradicionais e pujantes do Recife, puxou a alta na geração de empregos, admitindo 10.094 pessoas e saldo positivo de 2.798. A atividade foi seguida pelo Comércio, com 3.749 postos de trabalho (+1.094); Construção Civil, com 1.818 vínculos ( 285); Indústria, com 933 empregos ( 172); e Agropecuária, com 134 contratações ( 102). 

Fazendo o recorte no Nordeste, o Recife liderou a geração de empregos, seguido de Fortaleza (CE), com 3.900 empregos, e Salvador (BA), com 3.393 vínculos. Comparando os estoques de empregos atuais por número de habitantes, a capital pernambucana aparece com o melhor número dentre as capitais da região, com 0,2920.

 

LEIA TAMBÉM EM,https://www.diariodepernambuco.com.br/