Empresas de cibersegurança alertam para o aumento de ofertas fraudulentas durante o período

Às vésperas da Black Friday e da Cyber Monday, duas datas que prometem grandes descontos no varejo, os consumidores devem ficar atentos também às tentativas de golpes. Aproveitando-se da promessa de descontos massivos, cibercriminosos podem tentar atrair usuários desavisados para ofertas fraudulentas com o intuito de roubar dados financeiros e causar prejuízo ao bolso do consumidor.  O aumento é tanto que, nas últimas duas semanas, o Gmail bloqueou mais de 231 bilhões de mensagens de spam e phishing, 10% a mais do que o volume médio.
 
Um estudo feito pela empresa de cibersegurança Kaspersky apontou que 62% dos brasileiros está preocupado com sua segurança on-line. Dados da pesquisa apontaram ainda que 40% das pessoas desconhecem como funciona a coleta de seus dados pessoais no ambiente digital. Outra empresa especialista na área, Check Point Software, alertou que um em cada seis e-mails maliciosos contém golpe de phishing, no qual o consumidor é "fisgado" para ofertas fraudulentas. 

blog de Tecnologia e Games reuniu algumas das principais dicas de empresas especializadas como a Check Point e ESET  para te ajudar a ficar protegido durante o período intenso de compras. Confira:

1. Fique atento às mensagens recebidas por e-mail sobre promoções. É importante conferir o remetente da mensagem, principalmente, analisar o link indicado para acessar. Especialistas da ESET recomendam verificar essas informações nos sites oficiais, para ter maior certeza antes de adquirir produtos ou serviços.

2. Atentar para os erros de ortografia. Caso receba um é e-mail com a logo de alguma empresa conhecida, é importante verificar se a mensagem possui erros de português.  Segundo a Check Point, marcas confiáveis não cometem erros de ortografia no corpo do texto, no nome do seu domínio ou na extensão da web que usam. Por esse motivo, qualquer e-mail com o nome da empresa digitado incorretamente (“Amaz0n” ou “Amazn” em vez de “Amazon”, por exemplo) é um sinal de alerta inevitável de que há uma tentativa de phishing.

3. Cuidado com as pechinchas “boas demais para ser verdade”. Desconto de 80% em telefones premium, computadores ou outros dispositivos eletrônicos podem ser indicativos de ofertas falsas. Na dúvida é bom optar por conferir o site oficial da empresa que está mandando o e-mail, o que nos leva a próxima dica.

4. Compre sempre de fonte autêntica e confiável. Antes de efetuar uma compra on-line, é importante verificar a veracidade do site que está sendo mencionado no e-mail. Ao invés de seguir um link enviado por e-mail ou mensagem de texto, vá diretamente ao varejista pesquisando-o no navegador selecionado e localizando você mesmo a promoção. Essas poucas etapas extras garantirão que você não clique em nenhum link fraudulento e que possa fazer sua compra com confiança.

Leia Também

 

• Black Friday: confira a lista de lojas online que devem ser evitadas segundo o Procon-SP

• Black Friday: empresas apostam em cupons de desconto durante todo o mês

• Black Friday: procurando um console? Confira a trajetória de preços das principais marcas

 

5. Certifique-se de estar em uma conexão segura. Nem todas as conexões de Internet são protegidas o suficiente para fazer pagamentos on-line. Evite redes Wi-Fi públicas para fazer pagamentos virtuais. Uma alternativa mais segura é acessar de redes e máquinas confiáveis, como o computador da sua casa. 

6. Ao acessar o site que deseja, verifique a estrutura da página. Fique atento a alterações no funcionamento e aparência dos sites, pois por mais que tentem se assemelhar aos oficiais, alguns aspectos podem entregar a ação fraudulenta dos golpistas. Cabeçalhos e menus suspensos funcionando incorretamente ou com informações inconsistentes podem ser um sinal de que algo está errado.

7. Procure pelo ícone do cadeado. O ícone fica no canto superior esquerdo da tela, dentro da barra de endereço. Ao clicar nele é possível verificar se a conexão é segura. Evitar realizar compras on-line usando as informações de pagamento de um site que não tenha a criptografia SSL (Secure Sockets Layer) instalada. Para saber se o site possui SSL, procure o “S” em HTTPS, em vez de HTTP. Um ícone de um cadeado trancado aparecerá, normalmente à esquerda da URL na barra de endereço ou na barra de status abaixo.

8. Utilize um cartão de crédito virtual ou serviços de pagamento seguro. Especialistas de ESET recomendam que o recomendado é fazer uma compra com cartão de crédito ou por meio de um serviço de pagamento on-line - como o PagSeguro, uma vez que não implica a utilização de dinheiro da conta-corrente. Assim, em caso de fraude, o banco ou o serviço poderá ressarcir de forma mais simples.

9. Suspeite sempre de e-mails de redefinição de senha. Caso você receba alguma mensagem do gênero sem ter feito a solicitação, orientação da Check Point é visitar o site em questão diretamente, sem clicar em links incorporados no e-mail. A alterar da senha deverá ser feita de forma manual. A empresa alerta que não saber sua senha é, naturalmente, também o problema que os cibercriminosos enfrentam ao tentar obter acesso às suas contas on-line. Todo cuidado é  pouco. 

10. Confirme a procedência de mensagens suspeitas, mesmo vindas de familiares ou amigos. Apesar de não serem tão populares, golpes de vale-presente também ficam mais frequentes durante a Black Friday. Segundo o Google, golpistas podem tentar induzir pessoas ao erro ao sugerir a compra de um vale-presente - às vezes usando o disfarce de um contato conhecido - ou oferecer um prêmio grátis em troca do compartilhamento das informações do cartão de crédito. Aqui, a dica é simples. Se você receber um e-mail, SMS ou até uma mensagem nas redes sociais de um amigo, ou familiar, pedindo para comprar um vale-presente, envie rapidamente uma mensagem para confirmar que ele realmente enviou a solicitação. 

 

LEIA TAMBÉM EM,https://www.folhape.com.br/colunistas/tecnologia-e-games/dez-dicas-para-se-proteger-de-golpes-durante-a-black-friday/34348/